Assign a menu at Appearance > Menus
Lugares, VIAGENS

Buenos Aires com Patyziul

529ea1bd-44d9-4385-8763-5f9c8e826d6e

Não existe viagem ao exterior mais fácil e acessível, sendo muitas vezes a primeira viagem internacional da maioria dos brasileiros.

Aliás, é um dos destinos favoritos de muitos viajantes experientes, que não cansam de retornar.

A capital argentina é sempre referenciada como uma das mais “europeias” e sofisticadas da América Latina.

Em termos de arquitetura, conta com inúmeros exemplos de edifícios e mesmo bairros inteiros de influência europeia, como o bairro “La Boca”, com as suas casas coloridas de madeira, antigamente habitadas por imigrantes italianos, “San Telmo”, conhecido pelos clubes de tango, mercado e lojas de antiguidades, ou “Palermo”, zona mais cara, com belos parques arborizados.

O coração da cidade é a “Plaza de Mayo”, onde fica a “Casa de Gobierno” (Casa Rosada) localizada em frente ao “Museo Nacional del Cabildo de Buenos Aires y de la Revolución de Mayo”, marcando o local onde teve início o processo de independência da Argentina, bem como da Catedral Metropolitana de Buenos Aires, construída no local da primeira igreja erguida em Buenos Aires.

A “Avenida 9 de Julio”, por sua vez, é uma das mais largas do mundo e corre paralela à “Calle Florida” (Rua Florida) e seus modernos centros comerciais, cafés e restaurantes.

Ao longo do “Rio de la Plata”, que separa a Argentina do Uruguai, estendem-se a reserva ecológica “Costanera Sur” e as docas, onde se destaca “Puerto Madero”, zona de bares e restaurantes em casas restauradas, e a própria reserva ecológica com trilhas para percorrer a pé ou de bicicleta – no meu caso, que não sei andar nem de patinete, fui a pé mesmo.

Buenos Aires é muito extensa e agitada, e foi o ambiente europeu, com enorme número de cafés, além de vários restaurantes italianos, que me deixaram maravilhada.

Existe, todavia, uma série de espaços verdes que os “porteños” (habitantes de Buenos Aires) procuram, sobretudo aos finais de semana.

Para facilitar, há voos diretos a partir de cada vez mais cidades brasileiras, o que faz com que Buenos Aires esteja ainda mais perto.

Algumas dicas:

A primeira dica de Buenos Aires é de a praxe, não descuide da segurança, ou seja, mesmo de férias, não desligue seu radar. Fique de olhos bem abertos nas ruas, principalmente se estiver na região conhecida como “Microcentro”. Buenos Aires é uma cidade relativamente segura, se a compararmos com as grandes capitais brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro, mas é sempre bom prestar atenção. A maioria dos roubos de turistas por lá ocorrem por simples malandragem, com trombadinhas que percebem sua desatenção e roubam bolsas, carteiras e celulares, assim estragando sua viagem.

A segunda dica é sobre os táxis. Procure usar sempre os carros de companhias conhecidas, evitando táxis particulares e, se possível, opte sempre pelo serviço de rádio táxi. Se isso não for possível e você tiver que pegar um táxi nas ruas, opte por um carro licenciado que tenha as cores oficiais – amarelo e preto – e as luminárias características em cima. Esses são geralmente mais confiáveis, de companhias conhecidas e têm um número que você pode anotar e ligar caso dê algum problema. O Uber por lá ainda não é legalizado, mas funciona. A única coisa é que eles pedem para sentar no banco da frente.

Terceira dica, o atendimento é lento e os garçons são um pouco preguiçosos. Para quem está acostumada com São Paulo, fiquei meio desapontada. Porém, o negócio é relaxar! Lembre-se de que você está em outro país e tentar mudar radicalmente isso é simplesmente inútil. Dessa forma, quando sair para almoçar ou jantar, vá com tempo suficiente, nada de pressa ou tempo contado.

Quarta dica é sobre o uso do cartão de crédito. Por razões surreais da economia argentina, há muitos lugares, desde lojas, bares e restaurantes, que ainda não aceitam cartões de crédito. Na dúvida, procure se informar com antecedência. Para bares e restaurantes, consulte o “Guia Oleo”, de bares e restaurantes em Buenos Aires, que dá todas as informações: se aceita ou não cartão, endereço e ainda uma média dos preços cobrados.
Quinta dica, apesar da moeda desvalorizada, os preços na Argentina já não são aquela pechincha de alguns anos atrás, mas ainda são bem baratos para os brasileiros. Sabendo trocar o dinheiro no lugar certo e evitando locais extremamente turísticos, ainda é possível economizar.

Finalmente, a sexta e ultima dica é sobre o clima. Acredite você ou não, apesar do Google, muita gente ainda pergunta sobre o clima em Buenos Aires. Na Argentina as estações são as mesmas que nas terras tupiniquins, porém são mais definidas: junho e julho, frio para caramba, dezembro, janeiro e fevereiro, muito calor.

Passeios que eu fiz:

Casa Rosada
• Plaza de Mayo
• Catedral Metropolitana de Buenos Aires
• Obelisco de Buenos Aires
• Teatro Colón
• Galerias Pacífico
• Caminito
• La Bombonera
• Feira de San Telmo
• Puerto Madero
• Ponte de la Mujer
• Tango Porterño
• Recoleta / Cemitério da Recoleta
• Escultura Floralis Generica
• Livraria El Ateneo
• El Rosedal de Palermo
• Jardim Japonês

Para quem quiser ler um pouco sobre esses locais:

dd15e036-5a53-41c2-827e-246f7dd7c3a4
Casa Rosada
Nas duas vezes em que a visitei, infelizmente tive o azar de estar acontecendo um protesto político bem em frente a ela, de maneira que não consegui tirar uma boa foto.
A “Casa Rosada” é a sede do governo argentino e um dos símbolos do país. Possui esse nome em decorrência de sua cor, que desde os primórdios era obtida a partir de uma tinta em que se misturavam sangue bovino e cal. Hoje ela mantém a mesma tonalidade, mas utilizando tintas modernas, claro!
Sua arquitetura também é muito conhecida, sendo um dos prédios mais belos da América Latina. É famosa também por ter sido palco de inúmeros movimentos populares, como os discursos de Evita Perón, provavelmente uma das mais conhecidas personalidades argentinas.
É possível realizar visitas guiadas por dentro do prédio aos finais de semana e feriados.

Plaza de Mayo
Fica em frente à “Casa Rosada”, sendo conhecida pelo movimento político das Mães da Praça de Maio. Desde a década de 70, até os dias atuais, as “Madres de Plaza de Mayo” se reúnem no local às quintas-feiras, para protestar em decorrência de seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar.
O chão da praça hoje é decorado com padrões imitando os lenços de cabelo usados por essas mulheres.

Catedral Metropolitana de Buenos Aires
O interior da Catedral Metropolitana de Buenos Aires, em minha opinião, é um dos mais bonitos que já vi, sendo famosa por ter sido um dos locais de atuação de D. Jorge Mario Bergoglio, o atual Papa Francisco.
No teto, uma linda cúpula totalmente decorada emociona qualquer pessoa, mesmo que não seja católica.

Obelisco de Buenos Aires
Foi inaugurado em 1936 no mesmo local em que ficava a igreja onde a primeira bandeira argentina foi hasteada. É muitíssimo visitado por turistas devido à sua localização, bastante central e perto de inúmeras outras atrações turísticas.

Teatro Colón
Símbolo da cultura de Buenos Aires, é conhecido como a maior e mais importante casa de ópera da Argentina, e uma dos melhores do mundo, ficando em quinto lugar com a melhor acústica do planeta. Inaugurado em 1908, é frequentado pelos maiores músicos e companhias sinfônicas do mundo. Visitas guiadas são feitas diariamente no local.

Galerias Pacífico
Hoje um centro de compras próximo ao centro do Buenos Aires, na Rua Florida, o prédio foi construído como uma loja no estilo francês em 1889. Após isso, já foi a primeira sede do Museu Nacional de Belas Artes, bem como o escritório da companhia ferroviária “Ferrocarril Buenos Aires al Pacífico”, cujos trens iam de Buenos Aires até o Oceano Pacífico argentino, daí o nome atual.
Atualmente, a galeria possui lojas dos mais variados tipos, mas mantém sua elegância e riqueza, com afrescos no teto produzidos por importantes artistas argentinos.

galeria

Caminito
O “Caminito” é uma rua famosa por suas casas coloridas, localizada no bairro de “La Boca”. Bairro formado por imigrantes italianos e de origem pobre, o “Caminito” é perfeito para fazer aquela caminhada, vendo a arquitetura local inusitada, casais dançando tango por todos os lados, vários restaurantes e muito artesanato.
Evite visitá-lo aos fins de semana, quando o excesso de turistas chega a incomodar. E, como o bairro continua sendo um dos mais pobres de Buenos Aires, após o cair da noite não é aconselhável andar por lá!

La Bombonera
O bairro de “La Boca”, onde se encontra o “Caminito”, é famoso também por abrigar o estádio do clube de futebol “Boca Juniors”, o famoso “La Bombonera”.
jogo

Feira de San Telmo
Todo domingo ocorre uma feira no bairro de “San Telmo”, por toda a extensão da “Calle Defensa”, num evento que atrai muitos turistas. As ruas ficam lotadas de artistas vendendo artesanato, bandas tocando ao ar livre e casais dançando tango, sendo um dos melhores lugares para comprar lembrancinhas de viagem.
Lá também fica o famoso banquinho com a escultura em tamanho real da Mafalda e seus amigos, onde filas se formam para tirar fotos ao lado da simpática personagem de quadrinhos.

san telmo

Puerto Madero
O “Puerto Madero” surgiu, como o bairro que se apresenta hoje, na década de 90 a partir de um projeto de renovação de um antigo porto da cidade que havia ficado obsoleto.
A ideia envolveu várias empresas importantes e nomes renomados da arquitetura, em um esforço para revitalizar o local.
Conhecidas redes de hotéis, como Hilton, e arquitetos famosos, como o espanhol Santiago Calatrava, o mesmo que projetou o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, deixaram seu legado nesta parte da cidade, a qual se tornou uma das mais modernas e com o metro quadrado mais caro de Buenos Aires.
c8d5119e-dc71-4e25-92cf-a79347a9dd7b

Ponte de la Mujer
Obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi seu primeiro projeto na América Latina. É um lugar lindo e perfeito para apreciar a vista de “Puerto Madero”, e sua arquitetura interessantíssima resulta em ótimas fotos.

la mujer

Tango Porteño
Parada obrigatória em Buenos Aires, dentre uma das muitas opções de shows de tango, fomos ao “Tango Porteño”.
Optamos por comprar antecipadamente um pacote, havendo opções que incluem jantar ou um bom vinho com empanadas, uma das especialidades locais.
Antes de o show começar, o jantar é servido, e é sensacional. A entrada, prato principal e sobremesa, assim como os vinhos, são de muita qualidade.

9d6950ec-8fc9-4acc-9860-bad71680f6ba

Recoleta / Cemitério da Recoleta
Um dos cemitérios mais famosos do mundo, o Cemitério da Recoleta fica no bairro nobre de mesmo nome e é uma das atrações mais visitadas da Argentina, pelo motivo do corpo de Evita Perón estar enterrado no local.
Além da “presença” famosa, o cemitério é belíssimo. Tão bonito, que foi o primeiro em que me permiti entrar por simples prazer, ao invés de pelo intuito de visitar amigos ou membros queridos da família que se foram.
Adicionalmente, há uma bonita árvore bem em frente à entrada, à qual não resisti e tirei aquela foto.

cemiterio

Escultura Floralis Generica
No bairro da Recoleta, mais especificamente na “Plaza de las Naciones Unidas”, a Floralis Generica, a flor de metal, foi um presente do arquiteto argentino Eduardo Catalano ao país.
Era a época da grande crise nacional de 2001, e, segundo ele, a flor serviria como um símbolo do ressurgimento da nação argentina depois de anos de decadência.
A peça é feita de aço inoxidável e sua maior característica é o movimento de suas pétalas, que abrem e fecham, como uma flor real.
É uma escultura lindíssima, que reflete tudo ao seu redor, devido ao material de que é feita.
O parque no qual se situa também é perfeito para descansar e tomar sol, sendo muito frequentado, logo ao seu lado estando a Faculdade de Direito da Universidade de Buenos Aires.

3dcdc924-f6d9-4899-ac05-a6982443a518

Livraria El Ateneo
É considerada uma das livrarias mais bonitas do mundo, estando localizada em um antigo teatro construído em 1919.
Se antes personalidades como Carlos Gardel se apresentaram no local, hoje suas estantes ocupam o que antes eram camarotes, mas a estrutura do teatro original permanece, como seus afrescos italianos no teto e a cortina do palco.
Acredito que seja uma livraria na qual, pela beleza de sua arquitetura, que facilmente rouba a cena, poucos de seus visitantes a visitem realmente para comprar livros!

68840d2e-dfd2-4650-a29c-f6117edcbe5c

El Rosedal de Palermo
Ótima opção para descansar depois de uma manhã de bastante caminhada. Um lugar muito agradável, situado no “Parque 3 de Febrero”, no bairro de Palermo, com lagos repletos de gansos e patos, pontes e pátios com fontes, a exemplo do Pátio Andaluz. Super recomendado!

Jardim Japonês
O “Jardin Japonés” foi construído em 1967, no bairro de Palermo, por ocasião da visita à Argentina do então Príncipe Herdeiro Akihito, atual Imperador do Japão.
Os lagos do Jardim Japonês são habitados por centenas de peixes coloridos, os quais podem ser alimentados pelos visitantes.
O Jardim Japonês é administrado pela Fundação Cultural Instituto Argentino-Japonês, nele operando um restaurante, uma casa de chá típico japonês, razões pelas quais muitas festas comemorativas da comunidade japonesa em Buenos Aires são realizadas lá.

jardim

 

P.s. Essa viagem tive o prazer de levar minha sobrinha, e celebrar os seus 20 aninhos, em grande estilo. XoXo

Tags:

Deixe uma resposta